Proteína: heroína ou vilã?

A proteína é um dos nutrientes essenciais que possui inúmeras funções fisiológicas fundamentais ao desempenho físico ideal. Por exemplo, a proteína forma a base estrutural do tecido muscular (massa muscular), além de ser o principal componente necessário da maior parte das enzimas musculares, acelerando assim o processo de metabolismo na queima de gordura.

Porém o excesso de proteína pode trazer alguns riscos à saúde. Sempre devemos considerar que a proteína presente em muitos alimentos é frequentemente acompanhada
de quantidades substanciais de gordura saturada e colesterol.

Outro ponto a se considerar, é que indivíduos com uma histórico pessoal ou familiar de problemas renais ou hepáticos, podem mostrar-se suscetíveis a terem algum tipo de deficiência ou sobrecarga nestes órgãos com excesso de ingestão deste nutriente.

O excesso de Viagra proteína na dieta pode ser convertido em carboidratos e gordura, sendo o excesso de nitrogênio contido nas proteínas convertido em uréia, eliminado pelos rins para evitar aumento da acidez no sangue, conhecida como cetose, processo lesivo ao organismo.

3.1 Qual a quantidade ideal da proteína?
É recomendado para pessoas sedentárias 0,8 g de proteína/kg do peso corporal: por exemplo, para um homem de 70 kg x 0,8g de proteína = 56g de proteína/dia, isto em
porcentagem seria de 10% a 15% do consumo diário total do indivíduo pela recomendação das DRIs (ingestão diária recomendada)

Já para indivíduos fisicamente ativos estes valores podem ser um pouco maiores, de 1,0 a 1,4 g de proteína/kg de peso isso em porcentagem é 15% a 25% do consumo diário total da pessoa.